Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

I. O Islamismo a Cobrir Todas as Religiões;
Scientology como a Religião das Religiões

O Islamismo foi fundado por Maomé (a paz esteja com ele e com os seus descendentes). No Alcorão, que os muçulmanos acreditam absolutamente como sendo a palavra de Deus, uma pessoa pode-se surpreender ao descobrir que a verdade que existiu neste universo antes da criação deste mundo é também denominada de Islão. Todos os mensageiros e profetas de Deus desde Adão ensinaram «Islamismo». Segundo a tradição verbal da profecia islâmica, diz-se que o número de mensageiros de Deus é 313, enquanto se diz que o número de profetas é 124 000.

Foi revelado que estes mensageiros e profetas de Deus foram enviados para todas as comunidades, tribos e raças e que eles disseminam a mesma verdade na língua de cada um. No capítulo 2, cláusula 136 do Alcorão diz: «Ei! Cremos em Deus e nas coisas que nos são reveladas. Também cremos nas coisas que foram reveladas a Abraão, Ismael, Isaque, Jacó e às tribos, bem como nas coisas dadas a Moisés e Jesus e as coisas dadas por Deus a todos os profetas. Nunca criamos discriminação entre nenhum deles, e nós somos muçulmanos». Aqui está a palavra árabe faraq que é traduzida como nunca crie discriminação. A palavra também significa separar, isolar, cortar e distinto. Assim, este significado do Alcorão não significa apenas nunca discriminar outras religiões, mas também nunca isolá-las ou cortá-las. Isso não significa apenas uma tolerância dos judeus, cristãos, hindus, budistas e xintoístas, mas significa mantê-los todos em harmonia. Isso é o que o mundo do Islamismo ensina. E assim, se um muçulmano falasse sobre o Islamismo, ele naturalmente incluiria também o Cristianismo, o Budismo, o Hinduísmo, o Xintoísmo e outras religiões no reino de sua compreensão. Isto é o Islamismo original, revelado pela profecia a Maomé (PBUH).

Como comparação, Scientology, como explicou o Sr. Hubbard, é a religião das religiões. Isto é delineado no vídeo Introdução a Scientology onde o entrevistador pergunta ao Sr. Hubbard se um paroquiano da Igreja Católica Romana ou da Igreja Anglicana pode ser um membro de Scientology. O Sr. Hubbard respondeu que eles podiam e ainda explicou que Scientology era uma religião das religiões.

No que também poderia ser uma grande semelhança com a tradição islâmica, o Sr. Hubbard disse, numa palestra a 3 de junho de 1955, intitulada A Esperança do Homem:

«Gostaria ... de homenagear os grandes líderes espirituais do passado — não dos tempos modernos, mas do passado — uma vez que essas pessoas transmitiram tradição suficiente para nos consciencializar do facto de que havia um lado espiritual para o Homem. Estes grandes líderes espirituais têm sido enforcados, injuriados, mal interpretados, incorretamente citados, não têm sido de forma alguma compreendidos. Mas, no entanto, as suas mãos têm transmitido um facho ao longo dos séculos para que nós pudéssemos culminar isto com uma maior capacidade para o Homem e alguma esperança no seu futuro. (…)

E uma das pessoas que a transmitiu foi um homem chamado Moisés. E uma outra vez transmitiu-se a um homem chamado Cristo. E ele transmitiu-o e até as nações árabes beneficiaram disso por meio do seu próprio profeta, Maomé.

No livro, O Caminho para a Felicidade, o Sr. Hubbard escreveu:

«A tolerância é uma boa pedra angular sobre a qual construir as relações humanas. Quando se olha para os massacres e sofrimentos causados pela intolerância religiosa ao longo da história do Homem, e até aos tempos modernos, pode ver-se que a intolerância é uma atividade bastante contrária à sobrevivência.

A tolerância religiosa não quer dizer que a pessoa não possa expressar as suas próprias crenças. Mas significa que procurar minar ou atacar a fé e as crenças religiosas dos outros foi sempre um caminho direto para os conflitos.»

N’O Credo da Igreja de Scientology, o Sr. Hubbard escreveu:

Nós da Igreja acreditamos

Que todos os homens, independentemente da sua raça, cor ou credo, foram criados com direitos iguais.

Que todos os homens têm direitos inalienáveis às suas próprias práticas religiosas e ao seu exercício. (…)

Que todos os homens têm direitos inalienáveis de conceber, escolher, assistir ou apoiar as suas próprias organizações, igrejas e governos.

Pode-se ver que as obras do Sr. L. Ron Hubbard são notavelmente semelhantes ao Islamismo com respeito a isto.

II. O Significado de Islamismo
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO