Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

O ESTATUTO RELIGIOSO DE SCIENTOLOGY

IRVING HEXHAM, PH.D.

Dr. Hexham escreveu em 1978:

Pediram-me a opinião profissional sobre o estatuto de Scientology enquanto religião. Estudei os materiais da igreja, falei com membros da igreja e li livros sobre Scientology. Em resultado deste trabalho, estou agora em posição de comentar o estatuto de Scientology enquanto religião.

Talvez deva dizer algo sobre mim para habilitar aqueles que me lerem a julgarem a validade das minhas conclusões.

Eu sou um cristão evangélico e obtive a minha licenciatura em Estudos Religiosos na Universidade de Lancaster onde estudei com o Professor Ninian Smart. Em seguida, fiz investigação na área da história das religiões, na Universidade de Bristol, com o Reverendo F. B. Welbourn. Como licenciado, concentrei a minha investigação na interação entre a religião e a sociedade, tendo estudado, para o meu mestrado, novos movimentos religiosos na Grã-Bretanha e, para o meu doutoramento, a relação entre o Calvinismo e o nacionalismo Africânder na África do Sul. Desde que completei a licenciatura, tenho mantido interesse pela religião na África do Sul e por novos movimentos religiosos na sociedade ocidental. Atualmente, sou Professor Assistente de Filosofia da Religião, na Faculdade Regent, em Vancouver. A Faculdade Regent é um instituto de pós-graduação teológica firmemente comprometida com a religião cristã.

Um dos principais problemas ao discutir a natureza religiosa de qualquer movimento é a questão da definição de religião. Embora os estudiosos ofereçam muitas definições diferentes de religião, estas, em termos muito gerais, podem ser divididas em dois tipos principais. Há aquelas definições que definem a religião em termos de uma organização de culto e as que definem religião em termos de modo de vida. Para avaliar a natureza religiosa de Scientology, comecei por usar a definição dada pelo Professor Ninian Smart, que é uma das principais autoridades no campo dos estudos religiosos. Esta definição foi dada num colóquio na Universidade de Lancaster, em dezembro de 1969, e pode ser encontrada no estudo do Professor Smart, intitulado «O Significado na e o Significado da Religião». No final da secção um do seu estudo, no parágrafo com a referência 2.60, o Professor Smart dá a seguinte definição:

Um conjunto de rituais institucionalizados, identificados com uma tradição e que expressam e/ou evocam sentimentos sagrados, dirigidos a um foco divino ou transdivino, visto no contexto do ambiente fenomenológico humano e pelo menos parcialmente descrito por mitos ou por mitos e doutrinas.

Também me parece evidente que Scientology pode ser classificada como uma religião em termos das definições que veem a religião como um modo de vida total.

Com base nesta definição e no que aprendi sobre Scientology, parece evidente que tanto o ensino como a prática da Igreja de Scientology na Colúmbia Britânica qualificam Scientology para ser definida como uma religião. Também me parece evidente que Scientology pode ser classificada como uma religião em termos das definições que veem a religião como um modo de vida total. Em relação a isto, remeto para outro estudo apresentado no colóquio realizado na Universidade de Lancaster, em 1969, pelo Reverendo F. B. Welbourn. O título deste estudo é «Para Eliminar o Conceito de Religião». Neste artigo, o Reverendo Welbourn defende veementemente uma compreensão da religião como um modo de vida total e não apenas como um atividade de culto. Em termos da sua definição, não haveria nenhuma dificuldade em reconhecer Scientology como uma religião.

Em conclusão, gostaria de acrescentar que a minha posição sobre a natureza religiosa de Scientology é semelhante à do Dr. Roy Wallis. Como eu, ele acredita que Scientology é uma verdadeira expressão de fé religiosa. Mas como eu, ele seria crítico em relação a determinadas crenças e práticas da Igreja de Scientology. Esta declaração pode ser qualificada pelo facto de que eu também seria crítico em relação a muitos outros movimentos religiosos.

Irving Hexham
6 de fevereiro de 1978

Quando escreveu este estudo, o Dr. Hexham era Professor Assistente de Filosofia da Religião, na Faculdade de Regent, Vancouver, Colúmbia Britânica, Canadá.

DESCARREGUE O LIVRO BRANCO