Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

VI. Experiência Religiosa

De acordo com o historiador de religiões Mircea Eliade, a forma mais antiga de experiência religiosa é encontrada nas práticas do xamanismo. Empregando aquilo a que Eliade chamou «técnicas arcaicas de êxtase», os xamãs entram em estados de transe, reivindicam que viajam fora dos seus corpos, e exercem o poder adquirido pelas suas experiências extraordinárias para curar o corpo, a mente e o espírito.27 Em pequenas religiões indígenas locais de todo o mundo, o xamã representa o padrão para definir a natureza da experiência religiosa.

No entanto, como o antropólogo Felicitas Goodman28 afirmou, as técnicas xamanísticas produziam o tipo de experiência religiosa não só mais antigo, mas também mais persistente e duradouro — o transe. Através de uma variedade de técnicas — meditação, oração, cânticos, canções, danças e assim por diante — as religiões têm induzido e cultivado a experiência de transe. De acordo com Goodman, os estados de transe representam o denominador comum subjacente a toda a experiência religiosa. Nas palavras de Goodman, todas as religiões, quer saibam quer não, induzem experiências de transe.

Embora a Igreja de Scientology empregue «técnicas de êxtase» específicas, esses procedimentos e processos que são referidos como a sua «tecnologia religiosa», a igreja tem insistido constantemente que a experiência religiosa apoiada por estas práticas não deve ser interpretada como transe. Além disso, ao contrário das desacreditadas reivindicações da propaganda anticulto, estas técnicas não têm nenhuma relação com processos de hipnose ou «lavagem ao cérebro».29 Em vez disso, as técnicas usadas na Igreja de Scientology são dirigidas no sentido de experimentar maior clareza de consciência espiritual.

Para Scientology, a experiência religiosa é basicamente uma questão de alcançar a compreensão. A natureza da compreensão é representada como um triângulo — o triângulo de ARC — que compreende três partes componentes: Afinidade, Realidade e Comunicação.

Para Scientology, a experiência religiosa é basicamente uma questão de alcançar a compreensão. A natureza da compreensão é representada como um triângulo — o triângulo de ARC — que compreende três partes componentes: Afinidade, Realidade e Comunicação. Como o primeiro vértice deste triângulo, Afinidade significa o grau de proximidade, afeição ou amor que é experimentado em relação a outra pessoa. O segundo vértice, Realidade, indica um acordo interpessoal sobre o que parece ser o caso em qualquer situação. No terceiro vértice, Comunicação define o intercâmbio de ideias. Como a parte mais importante deste triângulo de ARC, a comunicação clara pode fornecer a base para criar afinidade interpessoal e acordo mútuo sobre a realidade. No entanto, visto que todos os três aspetos da compreensão estão inter-relacionados, o triângulo de ARC é descrito como crescendo na proporção do aumento da compreensão. Como uma fórmula para compreender a natureza da compreensão, o triângulo de ARC funciona como uma medida de expandir a consciência.

A experiência religiosa em Scientology progride através de uma série de níveis graduados. Tendo alcançado as necessárias «liberações» do condicionamento da mente reativa, a pessoa pode alcançar o estado de ser Clear. De acordo com a Igreja de Scientology, a «glória plena do estado de Clear não tem descrição comparável em nenhum escrito existente na nossa cultura».30 Como a experiência mística em geral então a experiência de ser Clear poderia ser descrita como um estado de consciência inefável que está para além das palavras. No entanto, também como a experiência mística, esse estado de consciência é caracterizado por uma consciência aumentada em que se obtém um novo conhecimento e compreensão.

Para além do estado de Clear, Scientology proporciona técnicas para alcançar níveis ainda mais elevados de liberdade e capacidade espiritual. Como um Thetan Operante, uma pessoa que experimente estes níveis mais elevados torna-se, segundo se diz, uma «causa consciente e voluntária sobre Vida, Pensamento, Matéria, Energia, Espaço e Tempo».31 São reivindicadas capacidades extraordinárias para o Thetan Operante. Como um xamã, por exemplo, um Thetan Operante deve ser capaz de experimentar consciência independente do corpo físico. Nestes níveis mais elevados, contudo, a maior capacidade recuperada por um Thetan Operante é a experiência de eternidade. Através dessa experiência, a pessoa alcança o conhecimento da imortalidade e liberdade do ciclo de nascimento e morte. O conhecimento, liberdade e poder espiritual representado pelo Thetan Operante é o objetivo final da religião de Scientology. Essencialmente, estas capacidades representam o culminar de uma busca religiosa de salvação e imortalidade espiritual.

VII. Organização Religiosa
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO