Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

I. Scientology como Um Sistema Teológico

Embora nem todos os membros de Scientology (como é evidente das discussões e numerosas entrevistas que tenho tido) acreditem que haja um sistema teológico especial em Scientology, há contudo pelo menos dois atributos formais fundamentais que apontam para a existência de um sistema teológico. Primeiro, o papel do líder carismático no estabelecimento da igreja e, segundo, a existência de uma doutrina religiosa bem desenvolvida e conhecimento sagrado com um componente esotérico e exotérico.

I.I. O Líder Carismático

A obra do fundador, L. Ron Hubbard, é a base do dogma e organização de Scientology. A obra de Hubbard é o texto autoritário que é sempre abordado e que é constantemente estudado. Através da autodeterminação interna da igreja, os livros de L. Ron Hubbard desempenham o papel de escritura — o texto sagrado. O líder carismático é assim o autor do texto principal. A segunda razão para ver em Hubbard o líder carismático é que os membros da igreja acreditam que Hubbard foi a primeira pessoa que encontrou e percorreu o caminho para a verdadeira identidade espiritual. A única coisa que está por fazer por aqueles que estão perto ou longe é seguir o caminho de Hubbard e reviver a experiência de Hubbard, e isso está ao alcance de qualquer pessoa.

É importante sublinhar uma diferença básica entre o fundador carismático do movimento e os seus seguidores. Quanto a Hubbard, o caminho foi aberto como resultado do seu próprio carisma. Quanto aos seguidores, ele requer um estudo aprofundado com a orientação das escrituras.

O propósito das escrituras é a pessoa alcançar uma identidade espiritual e mudar a autoconsciência.

O propósito das escrituras é a pessoa alcançar uma identidade espiritual e mudar a autoconsciência. Deve-se enfatizar que o processo de alcançar novos níveis de autoconsciência foi escrito e regulamentado pormenorizadamente por Hubbard. Pensamos que é importante sublinhar que regulamentação pormenorizada e autorização de procedimentos é uma forma importante de evitar qualquer cisma. A porta para qualquer possibilidade de novas interpretações dos textos autoritários está fechada de forma extremamente simples mas eficaz. Crê-se que a verdade total foi encontrada na experiência pessoal de Hubbard. E esta experiência pessoal está associada à tecnologia de realização de uma verdadeira identidade espiritual. Ao contrário da experiência única de uma só vez de Hubbard (que serve como forma), a experiência de outros em conteúdo é a tecnologia para mudar o nível de autoidentificação da pessoa. O conteúdo da experiência de Hubbard (no sentido de tecnologia) é, em essência, de natureza universal e repetível. O propósito da missão da Igreja de Scientology é conceder a cada pessoa que sinta necessidade interior de alcançar identidade espiritual uma oportunidade de seguir o caminho que foi aberto por Hubbard.

Quais são as características principais do líder carismático do movimento de Scientology que fornecem a base para o considerarmos um líder religioso?

Em primeiro lugar, o fundador do movimento descobriu essências espirituais, conhecimento espiritual que diz respeito a todas as pessoas.

Em segundo lugar, com a ajuda deste conhecimento, o fundador desenvolveu uma via para salvação pessoal.

Em terceiro lugar, o conhecimento dado ao líder estava completo e quaisquer adições são impossíveis: quaisquer adições a única coisa que fazem é deformar o conhecimento e transformá-lo em conhecimento prejudicial. Disto emana a necessidade de supervisão especial para assegurar que as instruções do fundador sejam seguidas.

Em quarto lugar, o contacto com a experiência pessoal e a personalidade do fundador, que está presente em textos e gravações de vídeo, transforma o mundo interno do seguidor, transforma a identidade do seguidor e resulta numa tomada de consciência do próprio «Eu» como fonte espiritual e imortal.

Em quinto lugar, o fundador do movimento não pode ser substituído por nenhuma outra pessoa. É por isso que mesmo uma realização espiritual muito elevada de um membro da Igreja de Scientology não pode dar origem a uma pretensão de estatuto de fundador para assumir uma nova versão de doutrina; por esta razão, ninguém pode pretender assumir a autoridade e poder do fundador.

Em sexto lugar, na base da mensagem espiritual da autoria do fundador, é estabelecida uma ordem religiosa em que o lugar do membro da hierarquia depende exclusivamente da sua realização espiritual e da permanência de prática espiritual na ordem.

Em sétimo lugar, o serviço na Igreja de Scientology é edificado sobre os textos do fundador e testemunhos daqueles membros cujas vidas foram auxiliadas pela igreja e pelas obras do fundador.

Assim, o fundador do movimento, o líder carismático, surge como um salvador para os seguidores; o líder carismático oferece total autorrealização individual e espiritual. Por outras palavras, o líder, o fundador de Scientology é o fundador da doutrina religiosa e do movimento religioso.

I.II. Scientology: A Doutrina Religiosa e o Conhecimento Sagrado

Vários temas fundamentais de Scientology levam-nos a considerar que Scientology é uma doutrina religiosa. Em primeiro lugar, essência espiritual e eterna é o conceito com que uma pessoa deve identificar-se.

O tema seguinte é história ou um único acontecimento (uma catástrofe) que fez com que o homem esquecesse a sua verdadeira natureza, i.e., o tema da sujeição do verdadeiro «Eu» eterno quer pela natureza quer através de forças deliberadas do mal, tema este que é clássico para uma doutrina religiosa.

Matéria, energia, espaço e tempo são criados pelo «Eu» poderoso e eterno que perdeu a consciência da sua omnipotência e cai sob o controlo das suas próprias criações.

Alguns testemunhos sugerem que o esquecimento de si próprio é o resultado da atividade e criatividade pelo «Eu» eterno. Outros testemunhos (mais obscuros) descrevem isso como resultado de uma vontade pessoal malvada que causou uma catástrofe numa parte importante do universo habitado.

Em qualquer caso, seja ausência de malvadez ou presença de um criador malvado, nós vemos o tema clássico de ontologia religiosa, com o tema da queda e esquecimento do nosso antigo poder espiritual e também o esquecimento da catástrofe em si.

O conhecimento sobre o próprio passado infinito, sobre acontecimentos que aconteceram a um indivíduo durante as suas numerosas existências anteriores, não é apenas conhecimento. É conhecimento sagrado que devolve à pessoa uma compreensão do seu verdadeiro lugar no cosmos e lhe permite, durante o processo de tentar compreender os seus desastres antigos — até à catástrofe principal de importância cósmica — restaurar o verdadeiro conhecimento acerca de si mesmo. Assim, o conhecimento adquirido em Scientology através de estudo prolongado e consciência da própria história está a libertar conhecimento que traz a salvação.

O conhecimento sagrado muda e transforma a pessoa que está a receber o conhecimento. A realização da verdadeira identidade da própria pessoa vem depois da destruição de engramas, que são as barreiras na forma de falso conhecimento de si mesmo, i.e., identidade falsa. A destruição de obstruções internas colocadas no caminho da compreensão do verdadeiro «Eu» eterno da própria pessoa é realizada com a ajuda de um auditor, alguém que ouve, (do latim audire, ouvir) que é simultaneamente ministro e protetor do caminho para o conhecimento sagrado. A técnica de perguntas e respostas na audição faz lembrar um dos procedimentos de adquirir conhecimento sagrado característico de costumes que defendem que um aluno (ou pessoa que busca a verdade) só pode ser levado até ao limiar da verdadeira consciência. A própria consciência e a compreensão da verdadeira natureza das coisas é algo que a pessoa que busca deve encontrar de forma independente. (Técnicas semelhantes de compreensão do verdadeiro «Eu» podem ser encontradas nos «exercícios espirituais» de Inácio de Loyola, nas escolas espirituais orientais, no budismo Zen — paradoxos — e nas histórias hassídicas.)

Os paralelos mostrados acima, sem diminuir a singularidade do contributo espiritual de Scientology para o tesouro mundial de experiência espiritual, ajudam-nos a ter a certeza, em primeiro lugar, da base religiosa de Scientology e, em segundo lugar, do potencial espiritual de Scientology não só como um movimento religioso mas como uma ordem religiosa. Este aspeto é especialmente importante porque é possível o aparecimento de ordens como resultado de resolver assuntos organizacionais ou assuntos de natureza religiosa e educacional. A ordem religiosa como maneira de resolver problemas puramente organizacionais — como a história de movimentos religiosos mostra — é de curta duração, ao passo que as ordens formadas em volta de uma tecnologia de educação espiritual bem-desenvolvida provam ser duradouras. A ordem jesuíta, que pode ser usada como exemplo, criou a «prática de exercícios espirituais» pelo fundador da ordem, Inácio de Loyola. A capacidade da ordem para resolver numerosos problemas práticos é a consequência da prática espiritual e religiosa. A base da estabilidade da ordem da Companhia de Jesus é a adesão correta à tecnologia de «exercícios espirituais». De forma semelhante, o cerne da ordem da Igreja de Scientology tem estabilidade devido à tecnologia espiritual especial de encontrar o verdadeiro «Eu» que é o centro do dogma religioso e do conhecimento sagrado. Portanto o problema da preservação de conhecimento sagrado é um elemento importante da Igreja de Scientology.

II. O Problema da Preservação de Conhecimento Sagrado
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO