Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

III. A Estrutura da Mensagem Espiritual de Scientology

A estrutura da mensagem espiritual desenvolve-se a partir de um complexo de temas. A mensagem é dirigida pessoalmente a cada indivíduo, e em cada estádio formalmente marcado do caminho — a Ponte — os temas da mensagem encontram uma nova profundidade e completude.

A prática dos membros de ordens religiosas assume contemplação intensificada de temas individuais de mensagens especiais. Algumas ordens cristãs praticam uma meditação intensificada de acontecimentos chave da vida de Jesus Cristo. O propósito da meditação sobre temas separados e episódios das Paixões de Cristo é transformação e purificação interna da pessoa que medita e se entrega nas mãos de Cristo. Em algumas ordens sufistas existe uma prática pessoal paralela e é possível dar exemplos semelhantes de muitas culturas religiosas. Uma condição comum que possibilita um caminho de purificação e transformação interna é uma estrutura de tema especial da mensagem espiritual.

Vamos isolar duas unidades de interesse que são características da mensagem espiritual de Scientology.

III.I. A Queda do Homem, Consciência da Queda (Catástrofe), Autotransformação: Viagem Pessoal de um Herói

A queda do homem é vista como uma catástrofe universal que fez a pessoa esquecer o seu verdadeiro poder e «Eu» infinito. O «Eu» infinitamente forte e poderoso que tinha criado o espaço e o tempo afundou-se na dependência das suas próprias criações. O tema central que varia de maneiras diferentes na mensagem espiritual de Scientology é: «O criador que foi escravizado pelas suas próprias criações e perdeu a liberdade.» A consciência desta perda é simultaneamente o primeiro passo para a liberação. Daqui vem a necessidade de consciência de todas as catástrofes, experimentadas durante milhões de anos de existência. É típico o requisito de abranger milhões de anos como existência pessoal da pessoa.

A segunda característica do tema de queda-consciência-libertação é a sua imagem heroica na mensagem de Scientology. O tema heroico significa que a busca pelo novo «Eu» poderoso e eterno é primeiro que tudo um resultado de esforços pessoais da pessoa que está a seguir o caminho — atravessar a Ponte. Original e fundamentalmente, o homem é basicamente bom — este é um dos princípios básicos do credo de Scientology. Deve ser enfatizado por uma questão de comparação que esta posição claramente expressa é diretamente oposta à mensagem cristã que insiste em maldade e pecaminosidade na natureza do homem desde o princípio e na impossibilidade de correção por meio de esforços humanos. (Nós recordamos a fórmula: Como é impossível o leopardo mudar as suas manchas, e é impossível uma árvore inclinada endireitar-se, então é impossível a libertação do pecado original e de natureza pervertida através de esforços pessoais.) Olhar o homem como um herói — acreditar que o homem é originalmente bom e pode, pelos seus próprios esforços e com ajuda humana de professores e prática especial, regressar à sua condição original de poder, isso, no Cristianismo, foi sempre considerado paganismo. Sem entrar numa discussão pormenorizada das diferenças entre a mensagem cristã e a de Scientology, deve no entanto dar-se atenção a esta divergência específica como uma das principais fontes de dificuldades de disseminação da mensagem de Scientology em culturas em que o Cristianismo já prevalece.

Para a nossa análise, no entanto, a comparação é importante para enfatizar o seguinte: a queda, consciência da queda, e libertação são consideradas como uma jornada pessoal do herói a atravessar a Ponte para plena libertação pessoal. A longa prática que conduz à consciência da longa duração da existência pessoal (e recordação de si próprio) durante milhões de anos e a jornada pessoal (caminho) do herói são contrários à jornada pessoal e autoconsciência pessoal que a mensagem cristã oferece. Os temas da mensagem de Scientology são entendidos durante o serviço religioso que também tem estrutura com base em temas.

III.II. Confissão, Autocompreensão, Salvação:
O Caminho de Serviço Religioso

Para Scientology, como para qualquer cultura religiosa forte e como para qualquer ordem religiosa, o sermão é um elemento importante do serviço religioso. No entanto, nós não encontramos em Scientology o proselitismo que é característico de muitas religiões tradicionais. Pelo contrário, Scientology é uma das poucas religiões que permitem que os seguidores pratiquem outra religião. No entanto, Scientology é uma religião completa e os seus membros praticam Scientology com exclusão de qualquer outra fé. Alguns mantêm a filiação noutra religião principalmente por razões familiares, sociais ou culturais. É por esta razão que a confissão — testemunho da experiência da pessoa — é característica de um serviço de Scientology quando aborda o mundo exterior, juntamente com a ênfase constante nos aspetos racionais da experiência pessoal.

Scientology é uma das poucas religiões que permitem que os seguidores pratiquem outra religião. No entanto, Scientology é uma religião completa e os seus membros praticam Scientology com exclusão de qualquer outra fé.

A racionalidade da confissão sugere uma técnica de autocompreensão que foi pormenorizadamente desenvolvida e, mais importante, que é praticada: Compreender-se como um indivíduo que tem experiência pessoal do seu destino como algo que continua durante milhões de anos, e compreender-se como um «Eu» eterno e omnipotente.

A confissão e a compreensão de si mesmo produzem a salvação. A salvação é compreendida como consciência estável da sua verdadeira natureza e remoção de todas as barreiras espirituais internas (engramas) que bloqueiam a consciência correta do «Eu» omnipotente e eterno, i.e., a salvação é tomar consciência da e encontrar a identidade espiritual própria.

A estrutura da mensagem espiritual de qualquer cultura religiosa é suficiente para corrigir a compreensão apenas no contexto de compreensão do Absoluto. Isto leva-nos para a questão de ressuscitar a noção do Absoluto que é característica de Scientology.

IV. Compreender o Absoluto: Estruturas de Nova Existência, Existência Mais Elevada
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO