Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

Introdução

Este relatório conjunto sobre a Igreja de Scientology foi escrito por um estudioso de religião e uma assistente social e cientista. Foca os antecedentes, história e estado atual da Igreja de Scientology. A questão principal a ser respondida mais abaixo é o papel e o possível estatuto de Scientology como «religião»: a Scientology é uma religião ou não?

A história de Scientology é curta. Pode começar na publicação de Dianetics: A Ciência Moderna da Saúde Mental, de L. Ron Hubbard, em 1950, ou na criação da primeira Igreja de Scientology em Los Angeles, Califórnia, em 1954. As duas estão, evidentemente, relacionadas com o pensamento e a história da vida de L. Ron Hubbard (1911–1986), chamado Fundador, porque foi ele que criou os princípios de Dianetics e estabeleceu as doutrinas de Scientology.

O facto de Scientology ter as suas raízes na América levou a alguns aspetos culturais específicos que fazem parte da igreja. A língua mãe é o inglês e o estilo de vida é tão americano que isso pode ter perturbado periodicamente os esforços da igreja para disseminar mais profundamente em culturas que falam outras línguas. Apesar disto, a distribuição contemporânea da Igreja de Scientology é notável, mesmo em países fora de territórios ocidentais.

Ao longo de 40 anos, a Igreja de Scientology, de acordo com um relatório do Presidente da Igreja em 1994, estabeleceu uma base em 107 países em todos os continentes. O número de organizações criadas — quer sejam uma igreja, uma missão ou qualquer grupo organizado de pessoas praticantes — era na altura 2318, número este que tem vindo a aumentar rapidamente.

O crescimento é particularmente notável na Europa Central e de Leste, bem como em áreas da antiga União Soviética, Moscovo e S. Petersburgo até à Ucrânia, Cazaquistão, Moldávia e até à Sibéria: 21 novas missões em 1994 e 24 em 1995. A Hungria com mais de 10 missões é outro centro na Europa Oriental. Com tendência para crescer também em áreas tão remotas como a China, a Austrália, a Nova Zelândia, a África e a América Latina, a Igreja de Scientology está a aproximar-se de distribuição global, pelo menos geograficamente.

O número total de praticantes ou paroquianos Scientologists está na casa dos milhões. No entanto, é difícil dar um número exato, devido à natureza especial da Igreja que, além de oferecer espaço para rituais religiosos, também é um local de trabalho e um centro social complexo para os envolvidos e interessados, sem necessitar de dedicação a tempo inteiro das pessoas dentro e à sua volta. Isso é típico de muitas denominações religiosas.

De acordo com a Igreja de Scientology Internacional, em 1994 havia cerca de 8 milhões de Scientologists em todo o mundo.

II. Sobre o Conceito de Religião
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO