Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

Os Antecedentes Religiosos e Filosóficos de Scientology

A visão de Scientology pode ser encontrada nos livros bastante conhecidos de Hubbard, desde a década de 1940, mas especialmente desde 1950 quando apareceu o seu best-seller sobre Dianetics.

A relação de Dianetics e Scientology é tão próxima, tanto espiritual como historicamente, que podem ser consideradas como as duas faces da mesma moeda. Tenhamos em conta que Dianetics provém de duas palavras gregas, «dia» (através) e «nous» (alma), e Scientology significa «saber sobre saber» da palavra latina «scio» (saber) e o seu homólogo grego «logos». Por um lado, os princípios de Dianética foram publicados como um método apresentado como uma adequada «tecnologia da mente», Scientology, por outro lado, foi apresentada com ênfase, no facto de ser uma filosofia religiosa.

Embora a palavra inglesa «ciência», venha da mesma palavra grega «scio», pode ser adequado evitar a confusão desnecessária existente entre as duas palavras, estabelecendo uma diferença consciente na sua pronúncia. Uma solução poderá ser pronunciar «Scientology» á maneira grega, e «science» à maneira inglesa.

Em 1954, foi criada a primeira Igreja de Scientology, com o seu próprio credo, formulado por L. Ron Hubbard. O credo mostra, claramente, uma sociedade que se assume como um corpo religioso. Incluídos no credo estão os princípios, «nós da igreja acreditamos» nos direitos inalienáveis» e «iguais» de todos os homens, bem como a afirmação de que o Homem é «basicamente bom», e as quatro leis de Deus que «proíbem o homem de. […]»

Nos ensinamentos de Scientology podem ser encontradas semelhanças com religiões monistas como o Hinduísmo, o Budismo e o Taoismo em especial. De resto, os livros nas cerimónias de Scientology ligam os seus antecedentes com mitologias de filosofias religiosas tais como o Hinduísmo e o Budismo, e os ensinamentos de Aristóteles, Espinosa e São Tomás de Aquino.

A doutrina de Scientology postula que o Homem existe e procura sobreviver em oito planos distintos, que se cruzam, chamados «dinâmicas» em teologia de Scientology. As dinâmicas específicas vão do próprio à família, a grupos e até ao universo espiritual (a sétima dinâmica), e ao Ser Supremo (a oitava dinâmica) também chamada de Infinito ou Deus. Cada dinâmica mais alta abrange todas as dinâmicas abaixo dela.

O conceito de «Deus» existe nos ensinamentos de Scientology, mas de maneira diferente do Judaísmo, Cristianismo, Islamismo e das outras religiões teístas que têm as suas raízes nas tradições religiosas do Próximo Oriente. Em Scientology, Deus é a mais alta das oito dinâmicas, que o indivíduo se esforça por abarcar e conhecer completamente. Neste sentido, o conceito de Deus nos ensinamentos de Scientology, é muito pessoal — é realmente deixado à própria pessoa defini-lo plenamente.

A doutrina de Scientology, respeitante ao reino espiritual, está representada no «thetan», o qual está relacionado com conceitos no gnosticismo antigos e novos; supõe-se que o homem consiste em thetan, mente e corpo. A palavra «thetan», que tem os seus antecedentes numa letra grega «theta», é usada em Scientology para evitar confusão com os termos precedentes relacionados com «alma».

O caminho para a consciencialização espiritual em Scientology é feito através de «audição», que é uma das duas práticas religiosas centrais. A audição aborda o thetan, com níveis ascendentes de serviços religiosos, que permitem que o thetan resolva experiências traumáticas, tanto na vida presente como em vidas anteriores. Este alívio ocasiona uma maior consciencialização espiritual.

O caminho para a consciencialização espiritual em Scientology é feito através de «audição», que é uma das duas práticas religiosas centrais. A audição aborda o thetan, com níveis ascendentes de serviços religiosos, que permitem que o thetan resolva experiências traumáticas, tanto na vida presente como em vidas anteriores. Este alívio ocasiona uma maior consciencialização espiritual.

A outra prática central de Scientology é chamada «treino», que é o estudo concentrado das Escrituras de Scientology — os escritos, gravações e filmes de L. Ron Hubbard. A doutrina de Scientology afirma que a salvação espiritual pode ser alcançada nesta vida, unicamente através da prática de audição e de treino.

V. Uma Nova «Religião de Livro» em busca de Ortodoxia
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO