Como Ficar Bem | Centro de Recursos para a Prevenção

XXVII. Novas Religiões que Renunciam o Mundo

Novos movimentos que renunciam o mundo são principalmente, mas não exclusivamente, variantes ou derivadas do Hinduísmo ou Budismo, as religiões em que esta orientação geral prevalece. Alguns (mas não todos) os corpos dos novos Cristãos fundamentalistas também funcionam dentro da estrutura de um espírito em que o éthos de renúncia do mundo predomina. Adeptos destas religiões tipicamente abandonam os valores ocidentais contemporâneos e materiais. Eles podem assumir um estilo de vida comunal e talvez mesmo comunitário, e em novas religiões que são de origem orientais, os devotos adotam tipicamente, o que para os ocidentais, são conceitos estranhos. Eles podem, em alguns casos, aprender uma língua oriental para o culto e renunciam aos costumes ocidentais e convenções em favor de outros tabus e injunções relativas à sexualidade, relações sociais, dieta e até mesmo o vestuário. A Sociedade Internacional de Consciência Krishna (o movimento Hare Krishna) talvez seja o movimento mais conspícuo deste tipo, mas algumas das mesmas disposições podem ser encontradas na Missão da Luz Divina e, eles até mesmo alegam ser cristãos, no Congresso da Unificação da Igreja (o Moonismo).

Alguns dos movimentos renunciadores do mundo tendem, na natureza desta orientação, serem «totalísticos», que é o mesmo que dizer, eles tendem a esperar que os seus adeptos entreguem-se completamente à sua fé e que façam um compromisso total, ordenando todos os departamentos das suas vidas de acordo com a fé que eles abraçaram. Isso é, evidentemente, efetuado com mais facilidade onde o movimento espera que os adeptos adotem um padrão comunitário de convívio. Em muitos aspetos, tal exigência leva consigo uma analogia próxima à dos membros de ordens monásticas (sejam elas cristãs ou Budistas). Há religiões que renunciam o mundo, que não advogam tanto a separação total da sociedade em geral, que é o que a vida comunal alcança. Estes movimentos geralmente providenciam uma visão geral abrangente, e muitas vezes um sistema complexo de metafísica dentro da qual os seus devotos são dirigidos para encontrar respostas intelectuais a perguntas relacionadas com o máximo significado e propósito da vida. Não raro, quanto mais avançados forem os níveis de metafísica, mais os ensinamentos poderão ser secretos e disponíveis apenas para os adeptos. As religiões deste tipo incluem Teosofia, Antroposofia e «Gurdiefismo». A vertente mística poderá nem sempre impedir as atividades para benefício social, no entanto, mesmo se um elemento de afastamento social for também evidente: como as instalações educacionais para crianças deficientes mantidas pelo antroposofistas eloquentemente deixa esse ponto bem claro.

XXVIII. Novas Religiões Afirmadoras do Mundo
DESCARREGUE O LIVRO BRANCO